Roma, 6/10/2018.

Segundo informações da Sala de Imprensa do Vaticano neste sábado 6 de outubro, o papa Francisco nomeou como consultora do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida a senhora María Ascensión Romero Antón, membro da equipe internacional responsável do Caminho Neocatecumenal.

María Ascensión Romero Antón entrou na equipe internacional do Caminho Neocatecumenal em janeiro de 2018, após a morte da coiniciadora do Caminho, Carmen Hernández, e depois de solicitado pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida da Santa Sé, como estabelecem os Estatutos do Caminho.

O iniciador e responsável da equipe, Kiko Argüello, o presbítero da equipe, Pe. Mario Pezzi, e María Ascensión Romero, agradecem ao Santo Padre esta honra e lhe manifestam mais uma vez sua proximidade e comunhão.

María Ascensión Romero
María Ascensión Romero

Mª Ascensión Romero Nasceu em 27 de maio de 1960 em Tudela, Navarra (Espanha). É a terceira de quatro irmãos e estudou em um colégio da Companhia de Maria (o mesmo no qual se formou Carmen Hernández).

Posteriormente mudou-se para Sória para cursar Magistério e ali, aos 19 anos, conheceu o Caminho Neocatecumenal. Ao concluir a universidade, regressou a Tudela e se incorporou à primeira comunidade neocatecumenal na paróquia de São Jorge.

Em 1983, passou no concurso de Magistério em Madri e se mudou para lá para trabalhar como professora em vários colégios da capital durante nove anos, entrando em uma comunidade da paróquia madrilenha de Santa Catarina de Sena. Em 1987, sentiu o chamado à evangelização, o qual confirmou em agosto de 1989 ao término da Jornada Mundial da Juventude em Santiago de Compostela, com São João Paulo II, no encontro vocacional que o Caminho Neocatecumenal celebrou em Zaragoza.

Em 1992, foi enviada como itinerante à antiga União Soviética, onde permaneceu por 25 anos em lugares como Bielorrússia, Cazaquistão e Rússia. Em 2002, com os demais membros de sua comunidade, concluiu o itinerário neocatecumenal e renovou solenemente as promessas batismais durante a Vigília Pascal na Catedral de Almudena, presidida pelo então arcebispo de Madri, o Cardeal Rouco Varela.