Cidade do Panamá, 22/1/2019.

O Caminho Neocatecumenal estará presente na JMJ do Panamá. Há alguns dias, jovens procedentes de diferentes partes do mundo começaram a chegar ao país, e outros tantos chegarão nos próximos dias para se encontrar com o Papa Francisco.

Espera-se que aproximadamente 25 mil jovens do Caminho participem dos atos centrais e do tradicional Encontro Vocacional que o Caminho celebrará na próxima segunda, 28, como conclusão a esta JMJ.

Os jovens se encontram peregrinando por diversos países da América Central e cidades do próprio Panamá. Realizam pelas ruas autênticas “missões populares” nas quais anunciam o Evangelho, o Kerigma, isto é, a Boa Notícia, e dão sua experiência pessoal de seu encontro com Jesus Cristo. Por sua vez, cantam os cantos do Caminho e dançam, convidando todos os que queiram participar e unir-se a eles.

A maior parte destes jovens procedem da América e, em particular, da América Central, de países com grandes índices de violência e delinquência. Ali, o Caminho – vivido em pequenas comunidades – ajudou e ajuda muitos deles a enfrentar essa situação. A escuta do Kerigma e a iniciação cristã que é o Caminho ajuda os irmãos a permanecer na fé e a não fraquejar diante destas situações. A experiência vivida em primeira pessoa de perdão e salvação é o que levam e compartilham nesses dias no Panamá.

Apesar das dificuldades que sofrem, os jovens responderam assim ao chamado de Francisco, que por sua vez quer encontrar, sustentar e apoiar os jovens da América Central cujos sofrimentos ele conhece bem.

Mais de 8 mil jovens da América Central

Como não poderia ser de outro modo, os mais numerosos procedem da América Central e do Caribe: mais de 8 mil jovens. Da Costa Rica se deslocarão 1.500, da Nicarágua 1.500, de El Salvador 1.046, de Honduras e Guatemala 1.500 e 244, respectivamente. E da República Dominicana, 250.

Do próprio Panamá participarão uns 3.400. Das Antilhas Neerlandesas virão uns 100.

Da América do Sul participam 4.320. Do Brasil virão 2.200 jovens. Do Chile 500, do Peru 250, da Colômbia 300 e do Equador 700. Da Argentina comparecerão 120 peregrinos, da Venezuela 120 e da Bolívia 150.

Da América do Norte cerca de 5.000. Dos Estados Unidos, mais de 4.000, de Porto Rico 300. Do México uns 400 e do Canadá uns 40, entre outros.

Da Oceania vem 300, mais precisamente 250 da Austrália e o resto do Kiribati, um arquipélago localizado na zona central oeste do oceano Pacífico.

Da Europa comparecerão 1.000 jovens. Uns 300 jovens virão da Itália e 760 da Espanha. De Portugal chegarão ao Panamá 120 jovens. Da Alemanha 80, da Islândia 14, da França 40 e da Polônia 250 jovens.

A todos eles há que somar outros milhares que pertencem ao Caminho e virão através de outros grupos.

Encontro vocacional

Como é tradição em toda JMJ, o Caminho celebrará um Encontro Vocacional para recolher os frutos, depois da escuta das numerosas palavras que o Santo Padre oferecerá aos jovens nestes dias.

A equipe internacional do Caminho, formada por Kiko Argüello, Ascensión Romero e P. Mario Pezzi, será a encarregada de conduzir o encontro. Dele participarão também centenas de catequistas itinerantes, presbíteros e famílias em missão.

O encontro será celebrado na segunda, 28, no Estádio Rommel Fernández, o mesmo no qual o Papa Francisco se reunirá com os voluntários da JMJ no dia anterior antes de regressar a Roma.

Até o momento, confirmaram presença 5 cardeais e 19 bispos.

O encontro consiste de diversos momentos: a apresentação dos jovens vindos de diferentes nações, bem como dos cardeais e bispos; a proclamação de um Evangelho; o anúncio do Kerigma e o chamado vocacional ao presbiterato, à vida consagrada ou às próprias famílias para ir em missão onde seja necessário.

O Encontro é o selo final de toda a peregrinação que os jovens realizaram durante dias e dos momentos vividos junto ao Santo Padre.

O Caminho Neocatecumenal no Panamá

No Panamá há 130 comunidades do Caminho, a maioria na Cidade do Panamá, a capital, em 20 paróquias. De 8 dioceses com as quais conta a Igreja no Panamá, o Caminho está presente em 7 delas.

O Caminho chegou ao país em 1975 através dos itinerantes Rino Rossi, Natividad Aramburú y el P. Emiliano Jiménez.

Desde 1990, a equipe responsável da nação é formada por Javier Cuartero e Sandra Samperi, e desde 2005, está também na equipe o P. Miguel Chiner.