O Cardeal Sean O’Malley: “Kiko é como um ‘canal do Panamá’ espiritual”

Cidade do Panamá, 29/1/2019

O Caminho Neocatecumenal realizou nesta segunda-feira 28 janeiro o tradicional Encontro Vocacional para recolher os primeiros frutos da Jornada Mundial da Juventude no Panamá.

Cerca 25 mil jovens do mundo todo participaram do encontro. A maior parte é da América Central e do Caribe: Mais de 8 mil. Vindos da Costa Rica, cerca de 1.700; da Nicarágua, 1.600; de El Salvador, 1.200; de Honduras e Guatemala, 1.550 e 300, respectivamente; da República Dominicana participaram cerca de 250; e do próprio Panamá assistiram cerca de 3.400.

Vindos da América do Sul participaram cerca de 4.600. Do Brasil, 2.230 jovens; do Chile 530; Peru 260; Colômbia 320; e Equador 710. Da Argentina vieram 125 peregrinos, da Venezuela 120 e da Bolívia 155.

Todos eles se encontraram no Estádio Rommel Fernández. às 15 horas, aquele no qual o Papa realizou seu encontro com os voluntários no dia anterior.

Desde as primeiras horas da manhã, progressivamente iam chegando jovens ao estádio, e apesar do calor sufocante, desfrutaram a todo momento da sua alegria e entusiasmo, dançando e cantando.

A equipe internacional do Caminho, formada por Kiko Argüello, Pe. Mario PezziAscensión Romero, foram os encarregados de guiar o encontro. Foi presidido pelo arcebispo de Boston, o cardeal Sean O’Malley, que pertence ao Conselho de Cardeais que assessora ao Papa Francisco no governo da curia. E, além do mais, é presidente da Comissão para a Proteção dos Menores da Santa Sé.

Também estiveram presentes o arcebispo da cidade do Panamá, dom José Domingo Ulloa, como também o cardeal José Luis Lacunza, da diocese de David.

Da Espanha participaram o arcebispo de Valladolid e presidente da Conferência Episcopal, cardeal Ricardo Blázquez Pérez; e o bispo auxiliar de Getafe, dom José Rico Pavés.

Do Brasil estavam presentes o arcebispo de Brasilia, cardeal Sérgio da Rocha e o de São Paulo, Odilo Pedro Scherer. O Núncio da Sua Santidade no Panamá, dom Miroslaw Adamczyk, também esteve presente acompanhado de outros bispos do mundo.

Dom José Domingo Ulloa agradeceu “a Deus por esta oportunidade de ter vocês aqui hoje depois de terem participado com a juventude do mundo deste presente e deste dom que Deus deu a esta Igreja e a este pais do Panamá”. “Não me canso de repetir que a transformação deste mundo, da Igreja só pode vir de vocês, os jovens. Vocês são o presente da humanidade e da Igreja”, afirmou.

Anúncio do Kerigma: que os cristãos “sejam um”!

Em seguida, Kiko Argüello realizou o anúncio do Kerigma. “Este é um encontro providencial e vai mudar a vida de muitos de vocês. A vida de vocês vai se transformar em uma aventura: a aventura de ajudar Jesus Cristo a salvar esta geração”, disse referindo-se ao chamado vocacional que viria depois.

“Deus quis salvar o mundo por meio da necedade da pregação. Precisamos abrir o ouvido desta geração. Cada vez que se escuta o kerigma realiza-se a nossa salvação porque esta Boa Notícia explica algo que está acontecendo agora mesmo: a salvação dos homens do inferno eterno”, assinalou.

“A salvação vem pela escuta. A Igreja diz que a fé vem pelo ouvido. Sem a fé ninguém se salva”.

O iniciador e responsável internacional do Caminho lamentou que “as pessoas de hoje não escutam porque têm o ouvido fechado. Eles não se interessam por nada da religião, e por isso precisamos abrir os ouvidos desta geração”.

Jesus Cristo abriu o ouvido fazendo milagres, porque senão ninguém acreditaria no que dizia. Há um momento nos Atos dos Apóstolos em que cessam os milagres porque aparece o milagre moral maior da historia: a Igreja, homens que possuem o Espírito mesmo de Deus”. “E diz Cristo: amai-vos com eu vos amei”.

“Cristo nos amou quando eramos seus inimigos. Não tenha medo de o seu marido ser seu inimigo, ou sua mulher, ou quem quer que seja. O Senhor nos dá o poder de amar o outro em uma nova dimensão, na dimensão da cruz”, acrescentou.

“Jesus Cristo ofereceu sua vida por nós, assim também fazem os cristãos: oferecem sua vida pelos inimigos”.

Durante a pregação, Kiko afirmou que “os cristãos oferecem sua vida pelo inimigo”, e “Deus nos chama a ser perfeitamente um n’Ele”. “Os cristãos não reservam nada para si, vivem no outro como um, amam sendo um, totalmente entregues ao Senhor, porque ‘sede um e o mundo crerá’. O mundo está esperando que o amor apareça”.

“Cristo venceu a morte por nós e nos fez partícipes da sua vitória sobre ela”, lembrou.

“Você quer salvar os homens do inferno, da luxúria, do adultério, da avareza, do ódio, da guerra? Você quer ajudar Jesus Cristo a mudar os homens e faça de você um com Ele?”, preguntou à assembléia. “Cristo quer salvar todos nós da morte e nos que fazer partícipes da sua vitória, porque Cristo ressuscitou!”.

Junto ao sofrimento da América Central

Antes de pedir vocações para o presbiterado, para a vida consagrada e famílias para a missão, o Pe. Mario Pezzi destacou que o Caminho é um dom imenso do Senhor. Muitos foram batizados, mas a “semente de vida eterna” que foi infundida fica como morta.

São Paulo VI, em 8 de maio de 1974, dirigindo-se ao Caminho, disse: “vocês fazem o que a Igreja primitiva fazia antes do Batismo. Vocês fazem depois. Antes ou depois dá no mesmo, porque o importante é fazê-lo, e  a iniciação cristã é necessária”.

“Por meio de Kiko e Carmen e dos catequistas de vocês, o Senhor nos deu um Caminho gradual e progressivo em que se desenvolve e faz crescer a semente do Batismo que, pelo Espírito Santo, tem forças inimagináveis, até chegar a uma fé adulta em uma comunidade”.

Por sua vez, afirmou que, “sobretudo hoje, para os irmãos e para as comunidades que se encontram em situação de tribulação e de sofrimento, é mais do que nunca necessário ser fiéis à celebração da Palavra e da Eucaristia em comunidade, para serem iluminados e fortalecidos, para vencer as tentações de desânimo, e de duvidar do amor de Deus, permanecendo agarrados com mais força ao Senhor, invocando constantemente sua ajuda e consolo. Todos estamos neste combate, dia a dia”.

Levando em conta o chamado vocacional, o Pe. Mario Pezzi destacou: “O que pode ter de mais maravilhoso que participar da missão do próprio  Cristo!, participando de seu poder de dar a vida aos que estão mortos, dar o perdão aos que sentem o peso de seus pecados, de celebrar a Eucaristia, que nos faz passar constantemente da morte à vida”. “Se alguém aqui sente o chamado de Deus ao presbiterado, à vida consagrada ou à evangelização, é um dom que o Senhor lhes dá. Não tenham medo!”, finalizou.

Por sua vez, Ascensión Romero recordou como na JMJ em Santiago de Compostela “vi que o convite de São João Paulo II a ser santo era o único caminho para ser feliz”. “Depois no encontro vocacional em Zaragoza soube que o Senhor me chamava a seguir-lhe como meu único esposo”.

“Estive 25 anos na Rússia anunciando o Evangelho, e o Senhor sempre me consolou. Permitiu-me ver incontáveis milagres , tanta gente que ao escutar o kerigma mudou de vida. Deus é boníssimo e não os defraudará”, concluiu.

“Um verdadeiro canal do Panamá da espiritualidade”

Depois do chamado vocacional, diante da generosa resposta dos jovens, o cardeal O’Malley finalizou o encontro com algumas palavras de entusiasmo e de agradecimento. Começou parabenizando a Kiko pelo seu aniversário de 80 anos: “Quero felicitar a Kiko porque em 9 de janeiro completou 80 anos”. “Este homem é como um verdadeiro ‘canal do Panamá’ espiritual pelo qual muitas águas passaram e tocou a muitos católicos que dormiam com as águas batismais e que se converteram em católicos renovados”, ressaltou.

O arcebispo de Boston também expressou que “a conversão de Kiko permitiu, por sua vez, a conversão de muitíssimas pessoas, e estamos muito agradecidos pela sua vocação e pelo Caminho Neocatecumenal, que é uma graça especial para a Igreja”.

Kiko é um trovador de Deus, como seu padroeiro São Francisco, que com sua música e arte ajuda a descobrir a beleza do amor de Deus presente em nossas vidas.  Mas o mais importante é a resposta radical ao seu chamado a como discípulo receber a Jesus”.

À disponibilidade de tantos jovens e famílias de servir a Jesus Cristo uniu-se a surpresa de um show de fogos de artifício que deu ao encontro um final de uma autêntica festa.